Hackeando a geladeira

O termo hackear é muito utilizado na área de informática como sinônimo de “adaptar às necessidades”. Ao contrário do que muitos pensam, o termo não tem nada a ver com invasão de computadores e atividades ilícitas. No idioma inglês, o verbo “to hack” tem muito a ver com o “faça você mesmo” e com modificações feitas para personalizar ou modificar algum tipo de produto, aparelho ou equipamento.

Há muito tempo venho tentando imaginar uma maneira de reduzir minha conta de eletricidade. Ainda mais, depois que a Copel resolver acabar com o desconto  que há anos oferecia nas nossas contas, que chegava a quase R$20,00, no meu caso. Apesar de só utilizar lâmpadas econômicas, minha conta oscila entre 120 e 180 kWh/mês.

Comecei, então, a pensar o que poderia fazer para diminuir esse valor. Meu primeiro alvo foi minha geladeira, a belezinha da foto abaixo:

Geladeira Consul DeLuxe

Há algum tempo fiquei imaginando o porque de expositores de supermercados (que são abertos o dia todo) usam termostatos digitais, e nossas geladeiras residenciais usam termostatos mecânicos. A diferença de preço, no varejo, nem é tão grande assim, para o valor de um produto novo, e mesmo de um produto usado.

Fiquei incomodado com isso e comprei um termostato digital Novus, modelo N321, com sensor de temperatura NTC10 (R$80,00), o da foto abaixo:

Termostado digital Novus N321

Antes de qualquer coisa, resolvi testar o funcionamento do aparelho da seguinte maneira:

  1.  Fervi uma panela com água e coloquei o sensor dentro dela. A água fervente permanece a uma temperatura de 100°C. Constatei um erro de -2,3°C, pois o instrumento indicou 97,7°C. Normal para esse tipo de instrumento.
  2. Coloquei uma camada de gelo em uma panela, coloquei o sensor sobre ela e cobri com outra camada de gelo. completei o resto com água em temperatura ambiente. A temperatura do sistema ficaria em torno de 0°C. O instrumento indicou a temperatura corretamente, o que significava que não precisaria fazer nenhum ajuste de offset para a faixa de temperatura que desejava.

Como era dia de limpar a geladeira, resolvi fazer um estudo do comportamento térmico dela. Após a limpeza, instalei o sensor dentro do congelador, numa posição semelhante à do termostato mecânico original, tomando cuidado para mantê-lo afastado das superfícies do congelador e da porta, para que ele medisse apenas a temperatura do ar, conforme a foto abaixo.

Posição do sensor no congelador

Regulei o termostato da geladeira para a posição 1 e comecei as medições com uma temperatura ambiente de 22,7°C.

Posição do termostato da geladeira

Termostato eletrônico indicando a temperatura inicial do teste

Adotei o seguinte método de medição:

  1. Anotei a hora e a temperatura inicial;
  2. Anotei a hora em que a temperatura chegou a 0°C;
  3. Anotei a hora e a temperatura em que o motor desligou;
  4. Anotei a temperatura mínima inercial, após o desligamento do motor;
  5. Anotei a hora e a temperatura em que o motor foi religado;
  6. Anotei a temperatura máxima inercial após o religamento do motor;
  7. Repeti os passos 3 a 6 até ter dados suficientes para gerar um gráfico de tendência.

Na tabela abaixo estão os dados que coletei:

Hora Intervalo Temperatura Inércia Estado
12:17 00:00 22,7 22,7 on
12:38 00:21 -2,3 -2,5 off
12:42 00:04 -1,8 -1,5 on
12:47 00:05 -3,2 -3,5 off
12:51 00:04 -2,7 -2,3 on
12:56 00:05 -3,7 -4,1 off
13:00 00:04 -3,1 -2,7 on
13:05 00:05 -3,9 -4,2 off
13:09 00:04 -3,3 -2,9 on
13:14 00:05 -4,1 -4,5 off
13:19 00:05 -3,5 -3,2 on
13:23 00:04 -4,3 -4,6 off
13:27 00:04 -3,6 -3,3 on
13:31 00:04 -4,5 -4,9 off
13:37 00:06 -3,9 -3,6 on
13:41 00:04 -4,7 -5,1 off
13:46 00:05 -4,0 -3,7 on
13:50 00:04 -4,7 -5,1 off
13:56 00:06 -4,0 -3,7 on
13:59 00:03 -4,7 -5,2 off
14:05 00:06 -4,1 -3,8 on
14:09 00:04 -5,0 -5,5 off
14:15 00:06 -4,3 -3,9 on
14:19 00:04 -5,0 -5,5 off
14:25 00:06 -4,3 -4,0 on
14:29 00:04 -5,1 -5,6 off
14:36 00:07 -4,3 -4,0 on
14:40 00:04 -5,3 -5,8 off
14:46 00:06 -4,4 -4,2 on
14:51 00:05 -5,3 -5,8 off
14:57 00:06 -4,4 -4,2 on
15:01 00:04 -5,2 -5,7 off
15:06 00:05 -3,7 -3,2 on
15:10 00:04 -4,4 -4,9 off
15:15 00:05 -3,9 -3,6 on
15:19 00:04 -4,8 -5,3 off
15:26 00:07 -4,1 -3,8 on
15:30 00:04 -5,2 -5,5 off
15:35 00:05 -3,2 -2,8 on
15:40 00:05 -4,2 -4,6 off
15:46 00:06 -3,7 -3,4 on
15:50 00:04 -4,8 -5,2 off
15:56 00:06 -4,0 -3,7 on
16:00 00:04 -4,9 -5,4 off
16:07 00:07 -4,1 -3,9 on
16:11 00:04 -5,0 -5,5 off
16:18 00:07 -4,2 -3,9 on
16:22 00:04 -5,1 -5,6 off
16:28 00:06 -4,2 -3,9 on
16:32 00:04 -5,2 -5,6 off
16:39 00:07 -4,3 -4,1 on
16:43 00:04 -5,3 -5,8 off
16:50 00:07 -4,4 -4,1 on
16:54 00:04 -5,3 -5,8 off
17:01 00:07 -4,4 -4,1 on
17:04 00:03 -5,0 -5,6 off

Com esses dados, gerei o gráfico de variação de temperatura abaixo:

Gráfico de variação de temperatura ao longo do tempo

Pude perceber algumas coisas interessantes nesse gráfico:

  • A temperatura média para a qual tende a curva do gráfico é de aproximadamente -6°C;
  • O período de estabilização da temperatura é de cerca de 1 hora e 30 minutos. Durante esse período, o motor funciona durante cerca de 4 minutos e pára por cerca de 5 minutos;
  • Após a estabilização, o motor passa a funcionar durante cerca de 4 minutos e pára por cerca de 6 a 7 minutos;
  • A geladeira foi aberta por cerca de 20 segundos às 15:00 e por cerca de 5 segundos às 15:30. Houve, então, um novo período de estabilização da temperatura que alterou os tempos de liga e desliga.

De posse desses dados, pude estimar o consumo mensal de energia da geladeira. Ela utiliza um compressor do modelo PW 4,5K9 da Embraco, como mostra a foto abaixo:

Compressor da geladeira

Pesquisando na internet, encontrei uma tabela de especificações na página do fabricante, que mostra que o compressor fornece uma potência máxima nominal de 1/8 CV. 1 CV equivale a 735,5 Watts, portanto, meu compressor utiliza aproximadamente 100W de potência.

Se assumirmos que a geladeira tem um ciclo de 10 minutos, pois funciona por 4 minutos e desliga por outros 6 minutos, em média durante o dia, podemos fazer os seguintes cálculos:

Tempo ligada (Ton) = 40%

Tempo desligada (Toff)= 60%

A energia é consumida apenas no tempo Ton, portanto, apenas 40% do tempo de cada ciclo (depois de estabilizada a temperatura):

Ton (em 1 dia) = 24 h * 0,40 = 9,6 horas (9 horas e 36 minutos)

Num mês de 30 dias:

Ton (30 dias) = 9,6 horas * 30 dias =  288 horas.

Para saber o quanto isso influencia na minha conta de energia elétrica:

Consumo mensal = 288 horas * 100 W = 28,8 kWh.

Em uma conta, cuja média é de 150 kWh por mês, isso equivale a quase 20% da conta mensal de energia.

Esses dados me surpreenderam um pouco. Verifiquei que o termostato que havia comprado possuía um relé para o controle do compressor com capacidade para até 250W. Reesolvi, então, “hackear” a geladeira, mas não queria me incomodar modificando os circuitos elétricos originais do aparelho.

Resolvi, então, colocar o termostato numa caixa de plástico, consegui um pedaço de cabo de energia com uma tomada, de um velho secador de cabelos queimado e comprei uma tomada fêmea. e liguei todos como o desenho abaixo:

Esquema de ligação (Clique para aumentar)

Lendo o manual do termostato, fiz a regulagem dos parâmetros do termostato da seguinte maneira:

  1. Regulei a temperatura de trabalho (SP) em -5°C;
  2. Ajustei a unidade (Unt) para o valor “0”, para exibir a temperatura em graus Celsius;
  3. Ajustei o tipo de ação de saída (Act) para “1”, para ligar o compressor quando a temperatura subir;
  4. Ajustei o tempo mínimo de desligado (Oft) para 120 segundos, que é o tempo que o termostato esperará para ligar o compressor depois que a temperatura subir mais do que -5°C;
  5. Ajustei o tempo mínimo de ligado (Ont) para 60 segundos, que é o tempo mínimo que o compressor ficará ligado depois que a temperatura baixar menos do que -5°C.
  6. Ajustei o termostato original da geladeira para o máximo, para que ele ficasse ligado sempre.

Com essas configurações consegui leituras tão estáveis e previsíveis que desisti de montar uma tabela, já que não havia mais uma curva de estabilização. O ciclo de trabalho com  ficou assim:

  • Temperatura média: -5°C;
  • Temperatura mínima: -3,9°C;
  • Temperatura máxima: -6,2°C;
  • Tempo ligada (Ton): 5 m (22,73%);
  • Tempo desligada (Toff): 17 m (77,27%)
  • Ton em 1 hora: 13,64 m (13 m e 38,18 s)
  • Ton em 1 dia: 327,27 m (5 h 27 m 16,36 s)
  • Ton em 30 dias: 9818,18 m (6 d 19 h 38 m 10,9 s) = 163,6364 h
  • Consumo em 30 dias: 100 W * 163,6364 h = 16363,64 Wh = 16,364 kWh
  • Consumo do termostato: 5 W * 24 h * 30 d = 3,6 kWh
  • Consumo total: 16,384 + 3,6 = 19,984 kWh/mês

Isso significa que, houve uma redução do consumo da geladeira de 30,61%!!!

A amplitude térmica aumentou um pouco (0,3 °C para cima e para baixo), o que é muito pouco, e totalmente aceitável, se levarmos em conta que a curva de estabilização do termostato original da geladeira gera uma amplitude térmica bem maior do que esta. Além disso, a recuperação após a abertura da porta, é conseguida em apenas um ciclo após o evento.

Mas vamos o impacto disso em termos econômicos:

  • O kWh cobrado pela Copel é de R$0,479803;
  • Com um consumo médio de 150 kWh/mês, o valor da conta de energia chegaria a R$71,97, fora a taxa de iluminação pública que, em Curitiba é de R$4,25, totalizando R$76,22;
  • Nessa conta de energia, com o termostato mecânico, a geladeira seria responsável por R$13,82;
  • Colocando o termostato eletrônico, a contribuição da geladeira cairia para R$9,59, e a conta total cairia para R$71,99.
  • Anualmente, sem contar com reajustes de tarifas, a economia seria de R$50,76.

Pode parecer pouco, mas vamos analisar mais adiante:

O tempo médio de vida de uma geladeira, segundo uma pesquisa da Unicamp, é de 16 anos. Durante a sua vida útil, a economia seria de R$812,16, valor suficiente para adquirir uma geladeira nova.

Mas vamos mais além:

O tempo médio de vida de um termostato mecânico é de cerca de 5 anos e seu valor gira em torno de R$40,00. A vida útil de um termostato eletrônico pode superar a da geladeira, o que significa que ele poderia ser utilizado na próxima a ser comprada. Além disso, trabalhando quase 50% menos, o compressor terá sua vida útil aumentada, o que pode aumentar a vida útil da própria geladeira. Portanto, o custo do termostato eletrônico pode ser deduzido das manutenções que não serão realizadas na geladeira durante sua vida útil.

Finalmente, estamos falando de uma geladeira pequena, em uma residência com um consumo baixo de energia elétrica. Em residências maiores e estabelecimentos comerciais com vários equipamentos como freezers, refrigeradores, balcões frigoríficos, etc., a economia pode vir a ser bastante considerável.

Se você gostou desse artigo e deseja fazer um estudo de consumo da sua residência ou estabelecimento comercial, entre em contato comigo pelo formulário de contato.

127 Respostas para “Hackeando a geladeira

      • Posso estar enganado, mas água comum ferve numa temperatura maior. Detalhe irrelevante diante do trabalho que você fez.

      • Poderia por gentileza me explicar como faço a ligação da fase e neutro no controlador ? No esquema está em comum o borne 1.2.3.mas dessa forma não fecharia um curto entre fase e neutro ?

      • Bom dia, Cleisson.

        No esquema há um fio grosso vindo da tomada, simbolizando que ali é o cabo de energia que vem com dois condutores dentro. Um deles vai no pino 1 e o outro no pino 2. Basta ver o manual do termostato para entender a ligação. Os pinos 2 e 3 estão ligados em curto. Os fios que saem dos pinos 1 e 5 e entram num fio grosso (simbolizando que ali tem mais de um condutor) e vão para a geladeira. Os pinos 11 e 12 são ligados em curto (ver manual do termostato) e os fios do sensor (que também entram num fio mais grosso, simbolizando mais de um condutor) são ligados nos pinos 12 e 13.

      • Oi Paulo boa noite o controlador chegou e funciona perfeitamente, porém apareceu um empecilho , após o relé do controlador atuar a geladeira permanece por aproximadamente 15 off sem ligar o compressor

      • O termostato não é aquele que faz a seleção girando e setando as temps esse é pressionado um botão que alterna entre os níveis mesmo colocando no máximo ao desligar a geladeira quando a mesma e religada volta para o nível 1 , agora já solucionei jampeando nos conectores , exclui a placa eletrônica agora está só no coel a geladeira e uma consul crb39

  1. olá boa noite gostei muito do post, fiz um cursinho de refrigeração pela internet, mas a pouco tempo e continuo a querer mais informações, achei muito interessante, mas a parte eletronica é meio confusa pra mim, tem como vc ensinar passo a passo como montar esse termostato digital e o principio de funcionamento dele? e no termostato mecânico qual é a temperatura que o desliga ( desarma a GELADEIRA) e qual a temperatura que liga , e como funciona tua estrutura sei que tem uma mola dentro dele, se eu deixar na posição 1 e 2 o que significa na pratica dentro do termostato, e nas posições mais altas pode me ajudar amigo, se vc tiver algum material pra passar agradeço quero muito trabalhar com isso ter um negocio proprio , obrigado

    • Boa noite.

      O passo a passo é o próprio artigo. Se alguma coisa específica não está clara ficarei feliz em esclarecer. Não há nada confuso na eletrônica, desde que você tenha um mínimo de experiência com ligações elétricas.

      O meu está ligando em -4 graus e desligando em -5 graus. O termostato mecânico foi colocado no máximo pra não atuar e ficar permanentemente ligado. Mas você pode retirá-lo e curto-circuitar os fios que são ligados nele.

      O termostato não é montado. Ele já vem pronto, basta você ligar os fios da maneira descrita na figura. Ele precisa de uma alimentação que vem da rede elétrica (fase e neutro em 127 V, ou duas fases em 220 V) que são ligadas nos parafusos 1 e 2. A dificuldade maior é que você provavelmente vai precisar colocá-lo dentro de uma caixa plástica para melhorar o visual.

      A fase do 127 V (ou uma das fases do 220 V) também é ligada no parafuso 3, através de um fio.

      A saída para o compressor da geladeira são os parafusos 1 e 5.

      O sensor de temperatura tem dois fios. Um vai ligado no parafuso 13 e o outro no 12. E o parafuso 12 precisa estar curto-circuitado com o parafuso 11.

      Tudo isso está descrito no manual do termostato detalhadamente. Inclusive a parte de programação.

      Agora. Há diversos fabricantes e modelos de termostatos no mercado. Esse esquema de ligação foi feito para o meu termostato Novus N321. Para outros modelos e fabricantes, leia os respectivos manuais.

      Abraço

  2. Olá Paulo tudo bem? Gostei bastante do seu experimento. Eu também gosto de inovar de vez em quando, mas fiquei com uma dúvida.Onde ficou o fio do sensor? Você furou a lata da geladeira ou aproveitou algum furo já existente.
    obrigado
    Adriano

  3. Excelente artigo! Estou utilizando um controlador praticamente idêntico a este em minha geladeira… na verdade, em substituição ao original, que é uma placa eletrônica que queimou já duas vezes e custa R$130,00.
    A minha geladeira é uma duplex, porém, como não tenho parametros dela funcionando com a placa original, a minha tem ficado ligada em ciclos de 7 minutos on para cerca de 10 off. Se modifico isto a temperatura cai bastante e não gela a parte inferior.
    Enfim, estou satisfeito, pois já dava por perdira a geladeira.

  4. Pingback: Reduzindo o custo do termostato da geladeira | Economizando Energia

  5. Olha você é um gênio e um équisper no assunto, eu sou curioso e peguei um termostato mecânico, não tenho como mandar a foto do bruto, ele tem um circulo dividido em 24 horas e essas com 4 presilhas, que podem ser acionadas deixando a energia ligada ou desligada por 15 minutos, O dispositivo é ligado na tomada e a tomada da geladeira é ligada nele.Então pergunto :
    * ligando e desligando a geladeira por 15 minutos vou economizar energia?
    * o compressor vai sofrer?
    * os alimentos vão deteriorar ?
    * vão acontecer outros problemas?
    * ou poderemos ser considerados gênios e registrarmos o invento?
    atenciosamente grato gostei muito do artigo se todos fizessem como você o mundo seria bem melhor, procurando esclarecer a ignorância de muitas coisas, que os seres humanos desconhecem

    • Olá, Ivo.

      Não sou um gênio. Só sou curioso🙂

      O aparelho que vc tem aí é um temporizador (timer), não um termostato. Ele não controla a temperatura, controla o tempo em que um aparelho liga/desliga. O termostato controla a temperatura. Isso significa que ele vai manter a temperatura da geladeira, em dias quentes e em dias frios (o tempo de liga e desliga varia bastante com a temperatura do ambiente). O seu temporizador não vai fazer isso. Pode até ser que você consiga ajustar um ciclo de liga/desliga que permita conservar os alimentos, mas se o clima esquentar, você vai precisar ajustar um tempo menor pra conservar os alimentos. Se esfriar, vai precisar ajustar um tempo maior pra economizar energia e não congelar os alimentos.

      Eu já montei dispositivos que “controlam” a temperatura com temporizadores. Não são nem um pouco eficientes e podem gastar mais energia do que usar o termostato mecânico da geladeira. Portanto, no seu lugar, eu não usaria.

      Abraço.

  6. bom dia. paulo tudo bem contigo? Gostei muito da sua experiencia. e é o seguinte tenho um refrigerador consul 280 l modelo crc 28d bana.queria qual o modelo que voce me indicaria pra colocas nela pra estar fazendo esta experiencia muito obrigado pela sua atencao aguardo seu contato.

    • Bom dia, Fábio.

      Aqui tudo ótimo, e aí? Cara, você pode usar qualquer termostado com capacidade de potência para a sua geladeira. O que usei na minha experiência pode controlar cargas de até 1200 W (se não me engano), portanto mais do que suficiente para qualquer geladeira. Mas você pode procurar modelos e outras marcas mais baratos, sem problema nenhum.

      Abraço.

  7. Olá Paulo.. Gostei muito do artigo.. Meu refrigerador começou a apresentar um defeito intermitente no termostato.. Caso esse defeito venha a piorar vou optar por utilizar sua ideia.. Só uma duvida em que tipo de loja devo procurar para adquirir esse tipo de termostato? Um abraço e obrigado pelo ótimo artigo !!

  8. Ola Paulo, boa tarde.
    Esse esquema seu funciona em geladeira antiga, digo uma frigidaire de 1952?
    Onde o sensor é colocado? Em que parte e parede da geladeira especificamente?
    Parabens pela “descoberta”
    Aguardoo
    obrigado
    Claudio

    • Olá, Cláudio.

      Esse esquema seu funciona em geladeira antiga, digo uma frigidaire de 1952?

      Funciona em qualquer geladeira.

      Onde o sensor é colocado? Em que parte e parede da geladeira especificamente?

      Veja as fotos do artigo. De preferência num local próximo ao sensor do termostato original.

      Abraço

  9. Paulo,

    É louvável a tua iniciativa. Parabéns.
    É de gente assim q precisamos, já q os fabricantes,seja de qual produto for, nunca dizem tudo ao consumidor.
    Só uma obs. (creio não ter entendido bem): para o consumidor residencial (só uma geladeira ou 2, no máximo) não há economia sensível. Veja: vc pagou $80 só no termostato (+ o trabalho e as demais peças) e economizou +-$50 NO ANO. Realmente, para grandes consumidores (bares, mercados, etc.), talvez seja vantagem.
    Não sou engenheiro, nem conhecedor do assunto. Me baseei somente na lógica, ok?
    Abç e obg. CM

  10. Olá Paulo, boa noite! Estou há muito tempo procurando uma solução para eficiência energética para uma geladeira Twin System da Brastemp (Aprox 20 anos). Minha conta de energia anda muito alta e tenho quase certeza sobre esta vilã… Tempos atrás liguei na Brastemp e recebi a informação de que o consumo deste modelo era de 178w/hr o que me deixou de cabelo em pé. Só não troquei a geladeira por uma nova porque ela possui um tamanho diferenciado da maioria e os móveis da cozinha estão adaptados em torno dela, e dificilmente conseguiria uma nova nas mesmas dimensões! Além do fato de não confiar nos modelos novos que apresentam problema muito cedo, e esta guerreira ainda está na batalha há muito tempo.
    Como percebi que entende muito do assunto, a minha dúvida que fica é, como uma geladeira nova com freezer consome em torno de 50w/hr à 65w/hr??? Qual é a mágica??? Está nos compressores??? Já pensei em tentar adaptar um compressor novo nesta geladeira… você acha que minimizaria o meu consumo??? Muito obrigado pela atenção… Abraço.. Vinicius Mendes

    • Boa noite, Vinicius.

      Não creio que uma geladeira com freezer consuma apenas isso. A minha não tem freezer, tem mais de 20 anos e consome 100W/h. Seria bom dar uma olhada no compressor que deve ter uma etiqueta indicando o consumo.
      Quanto à sua outra pergunta, como já disse no artigo, pra mim funcionou e já está funcionando há quase 4 anos, com o mesmo termostato. Estou feliz com minha “frankenstein”😉

  11. GOSTEI MUITO DA SUA AULA
    CONSEGUI ECONOMIA DE 30% ASSIM
    COMPREI UM TERMOSTATO QUE LIGASE NA TOMADA E ELE TEM UM RELÓGIO GIRATÓRIO ONDE SE PROGRAMA O TAMPO DE PARADA E FUNCIONAMENTO.
    ESTABELECI 30 MINUTOS LIDADA E 30 MINUTOS DESLIGADA, FUNCIONA NORMALMENTE E A ECONOMIA É CERTA.

    MUITO OBRIGADO. PENA QUE NÃO POSSO COLOCAR A IMAGEM, AQUI

  12. cara muito interessante este artigo , esse procedimento pode ser feito na maioria das geladeiras?to com uma consul biplex antiga e to querendo fazer este esquema sera q vai funcionar ? agradeço desde ja a resposta

  13. Paulo, no meu caso que é uma Geladeira Twin (Duplex)… eu precisaria de 2 termostatos, um para o freezer e outro para geladeira para economizar energia???

  14. Você diz que a leitura de temperatura está incorreta porque ferveu água e o sensor marcou 97.7 graus ao invés de 100 graus. Porém, a menos que você more em uma cidade no nível do mar, a água sempre ferve abaixo de 100 graus. O valor medido é coerente com uma altitude de aproximadamente 600 m.

    Não estou dizendo que não tem erro, mas 2.3 graus é um erro excessivo e fora de especificação para esse equipamento. Aposto um bom dinheiro que você mora em uma cidade de altitude próxima aos 600 m que eu mencionei.

    • Não vou discutir preciosismos. Para o propósito ao qual eu me dispus fazer, a incerteza e o erro são perfeitamente toleráveis, já que o termostato mecânico original da geladeira tinha erro e incerteza MUITO MAIOR do que o da minha medida. O fato é que na prática tudo está FUNCIONANDO MUITO BEM há mais de 2 anos.

      Abraço.

  15. Olá Paulo,

    Tudo bem?

    Conseguiria me ajudar com uma duvida.

    Tenho dois freezer dupla ação da metalfrio e preciso que ambos trabalhem obrigatoriamente entre 2 e 4°C. Com os termostatos manual a varia está sendo muito grande e dificil controle.

    Com esse esquema e termostato digital consigo limitar o trabalho para a temperatura de 2 a 4°C?

    Abs

  16. Paulo, em um de seus comentários você disse:
    “O sensor de temperatura tem dois fios. Um vai ligado no parafuso 13 e o outro no 12. E o parafuso 12 precisa estar curto-circuitado com o parafuso 11.”

    Recebi hoje o controlador de temeperatura Novus n321 e, no manual, ele manda curto-circuitar os parafusos 11 e 13 ao invés do 11 com o 12. Como devo proceder para não danificar o equipamento?

    • Alexandre,

      Vc não vai danificar o equipamento se trocar os fios. Apenas não vai funcionar como deveria. Siga o que está escrito no manual que veio no N321 que vc comprou. No meu estava da maneira que escrevi no post. Neste não fala nada em curto circuito. Neste está da maneira que você disse.

      Abraço.

      • Obrigado, Paulo.
        Gostaria, se possível, que vc postasse qual o modelo de controlador mais adequado e o esquema de ligação para instalação em freezers frost-free, os quais possuem uma resistência para o descongelamento.
        Um abraço.

      • Boa noite.

        Eu arriscaria tentar fazer algo com um termostato de duplo controle. São termostatos que possuem entradas para dois sensores e mais de um relé de controle de carga. Assim, talvez seja possível controlar ambos os processos. Mas é preciso conhecer bem o funcionamento do sistema original para poder fazer um melhorado.

        Abraço.

  17. Cara. achei legal sua modificaçao, parabens pela iniciativa. Aki em casa, minha geladeira duplex tinha um ciclo de 25/25 ligada/desligada. agora depois que eu instalei uma pequena fonte de 12v e uma ventuinha de fonte em paralelo com o compressor, e direcionada para ocondensadoro ciclo passou para 27 minutos desligada e 21 minutos ligada. Mesmo gastando com a ventuinha, terei u ma boa economia.

    • Obrigado pela contribuição, João Carlos.

      De fato, a ventoinha serve para homogeneizar a temperatura dentro da geladeira e ajuda a melhorar o rendimento. Só tem de tomar um certo cuidado porque a geladeira é um ambiente úmido e a ventoinha deve ser do tipo que tenha proteção contra umidade. Senão ela pode estragar bem rápido.

      Abraço.

    • Obrigado pela contribuição, João Carlos.

      De fato, a ventoinha serve para homogeneizar a temperatura dentro da geladeira e ajuda a melhorar o rendimento. Só tem de tomar um certo cuidado porque a geladeira é um ambiente úmido e a ventoinha deve ser do tipo que tenha proteção contra umidade. Senão ela pode estragar bem rápido.

      Abraço.

    • estou querendo fazer bem parecido do que fez Joao Carlos

      comprei uma cervejeira pequena, do tamanho de um frigobar e instalei dentro de um móvel existente, deixando cerva de 4 cm de espaço no fundo, 2cm em cima e 0,5cm nos lados. Ficou totalmente errado esta falta de ventilação superaquecendo o móvel o refrigerador,
      esta funcionando há uns 10 dias, mas liga muito seguidamente.
      Para renovar este ar quente e economizar energia quero instalar um cooler 12v de computador com fonte e ligar direto no motor da cervejeira
      para que este ligue e desligue junto.

      O que vocês acham, ficara melhor que que esta hoje ?

  18. Ia ser legal dar alguns upgrades no sistema atual para saber se economiza mais:

    1 – Usar um sistema de evapotranspiração (Pulverizar água por meio de uma bomba de aquário de 5w sobre o dissipador quando o compressor liga.
    Assim como no corpo humano, a água quando evapora absorve a energia do calor).

    2 – Aumentar o tamanho do radiador da geladeira ou mais aletas e elementos de metal. (Sempre me perguntei se superdimensionando trás vantagens reais)

    3 – Um pequeno ventilador fazendo o fluxo de ar circular sobre o radiador da geladeira.

    4 – Serpentina em paralelo com o radiador da geladeira, ainda eleva alguns graus a água da caixa (ideia de refrigeração a água por convecção.A água geralmente absorve mais calor e está em uma temperatura menor que o ambiente, a troca de calor deve ser melhor ainda)

  19. Caro Paulo,

    Estive pesquisando uma forma de fazer meu Freezer Consul Vertical 231L
    Cor: BRANCO, Voltagem: 220V 60HZ, a trabalhar em temperatura que não congelasse bebidas.

    Mesmo colocando o termostato do aparelho na temperatura mínima ele congela todo tipo de bebida que permanecer em seu interior, estourando até garrafas de cerveja.

    Montando um sistema semelhante ao que você expôs no artigo, será que consigo fazer ele operar numa temperatura que não congele, quando o mesmo estiver abastecido com bebidas?

    Muito bom seu artigo e didática sua explicação, até para leigos no assunto como eu.

    Grato pela atenção.

  20. Paulo, boa tarde!

    Andei pensando apos ler esse seu blog. Existe algum motor novo de geladeira que seja mais economico e possa substituir os motores das atuis geladeiras. Pergunto isso pois, normalmente, as empresas querem lucrar e lucrar, deixando de lado o bem estar do cliente. Voce conhece algo nesse sentido?

    PAULO

  21. Comprei um no MercadoLivre por 37 reais, mas como ele só controla entre -9 e 99 graus e vem apenas a placa, sem caixa, Instalei ele dentro de uma caixa dessas para tomada externa e coloquei para desligar diretamente a geladeira, isso deixa ela com a luz apagada quando ela está desligada, mas isto não me incomoda de maneira geral.
    Coloquei o sensor dentro da geladeira, que é uma duplex e controlo a temperatura do congelador através de um termômetro digital que eu já possuía, pois ele deixa registrado a temperatura Max e a min,
    Deixei a temperatura do termostato entre 3 e 6 graus controlando a temperatura da geladeira, e no congelador que quase não abrimos a porta, a temperatura tem ficado mais estável,entre -12 e -18 graus.
    Ainda não recebi a conta pra saber se houve uma diferença considerável, mas nesta época de mais frio, percebo que ela liga poucas vezes durante a noite. Valeu pela idéia original.

    • Na verdade eu apenas monitoro a temperatura do congelador como outro termômetro digital que também possui um sensor externo, o controle é feito na temperatura da geladeira, e a partir dela é que é controlada a temperatura do freezer também.

  22. Muito bom seu artigo Paulo.
    Estou com uma dúvida, com esse esquema eu consigo transformar uma Geladeira Expositora que trabalha entre 0 e 8 graus em uma Cervejeira trabalhando ente -2 e -6 graus?

  23. Olá Paulo, gostei de sua experiência e compartilhamento, onde a explicação foi clara e técnica o suficiente para a grande maioria dos usuários…me encontro numa situação parecida, onde controlar a temperatura ficou fundamental.
    Meu freezer é um Brastemp frost free 270, que trabalha igual a um cavalo e consome igual a um elefante…trabalhar igual a um cavalo é bom, mas consumir iguala um elefante ts ts ts… fazia tempo que ele ficava desligado.
    Voltei a ligar por necessidade, sendo que a meu ver o termostato já deu o que tinha que dar (são mais de 15 anos de uso), pois ficou sem controle algum.
    Observando o termostato, que tem o código RC 56001-2, pelos dados da Robertshaw, ele opera nas seguintes condições:
    Q > -16,8 a – 23,9°C
    F > -20,0 a -28,2°C
    Já ia partir para a substituição quando vi esse seu compartilhamento e gostaria de colocar algumas questões, que se possível um retorno rápido, será fundamental para eu resolver os problemas do cavalo e do elefante.
    1 – Não vejo necessidade da operação ficar para além dos -12°C, só demorará um pouco mais para o produto a ser congelado, chegar a este ponto…além do que meu propósito não é o de estocar nada por mais de 3 meses…assim, creio que seu termostato, ou um similar, tenha condições de controlar a temperatura ao redor dos -12°C, e como é um freezer com pouco tempo de aberturas diárias, creio que uma boa faixa de operação ficaria entre -8°C a -15°C, com possibilidade desta faixa ser alterada por reprogramação do termostato.
    Este raciocínio é válido?
    A configuração do termostato não se perde numa eventual falta de energia?

    2- O comando de cargas, principalmente de um motor, gera inconvenientes de picos na partida e picos inversos no desligamento…o que não é muito bom para a eletrônica.
    Sabe informar se o seu tem um relé ou triac para o comando do motor?

      • Eu tentei usar em temperatura mais alta, porém aí ele perde muito rapidamente a temperatura, e o ciclo ligado-desligado se torna muito frequente.
        Deixei em -20 religando em -10.

      • Paulo, obrigado pelo retorno, mas estou tão empolgado com seu sucesso que me antecipei e já adquiri (via ML), uma unidade idêntica a sua e já até projetei a alteração no esquemático da geladeira, só não sei como postar a foto aqui, mas pretendo integrar a unidade digital de modo a ficar apenas com a tomada da geladeira para ligar tudo. Retirarei o arame do termostato mecânico e colocarei o sensor seguindo o mesmo caminho…não é difícil pra mim, pois tenho habilidades em estruturas mecânicas e conheço bem eletrônica e eletricidade.

      • Oi Célio.

        Vc pode escrever um texto, anexar as fotos, que eu publico um post sobre a sua experiência aqui no blog. Se ficar bom pra vc, podemos fazer assim.

        Entro em contato com vc em PVT.

        Abraço.

      • Olá Paulo…e demais visitantes…
        Meu N321, chegou ontem e só após isto é que reparei que ele veio para sensores tipo termopar J, k ou T, diferente do seu que é para NTC 10K.
        Assim temos que o N321, é confeccionado ou para sensor NTC ou PT100/Pt1000 ou termopar tipo J/K/L.
        Nas ligações elétricas, o pino 11, 12 e 13, são para a entrada dos diversos tipos de sensores, sendo que somente se o sensor for do tipo Pt100 (com 3 fios), o pino 13 deve ser curtocicuitado ao 11 para compensação da resistividade do cabo.
        Para todos os outros sensores não deve haver curto-circuito entre 11 e 13, mas se colocarem o máximo que poderá acontecer é uma leitura errada, um desvio da real, que não sei de quanto…porém nada mais do que isso.
        Os meus parâmetros de configuração são ligeiramente diferentes dos seus ou vc. só fez citação para os que vc. alterou?
        Os meus são:
        SP set point > temperatura de trabalho:deve ser um valor entre SPL e SPH
        UNT Unit > unidade de medida 0=Celcius, 1=Fahrenheit
        TYP Typ > tipo de sensor 0=J, 1=K, 2=T
        OFS Offset > correção de valores de temperatura
        SPL Set point low > limite inferior de SP, tem que ser maior que SPH
        SPH Set point High > limite superior de SP, tem que ser menor que SPL
        HYS histeresys > diferencial entre o ponto de ligar e desligar o relé (em °C ou F)
        ACT action > tipo de ação de saída 0=aquecimento, 1=refrigeração
        OFT of time > tempo mínimo de desligamento > não usado com termopares
        ONT on time > tempo mínimo de ligado > não usado com termopares
        DLY delay > tempo de retardo para comandar o relé de saída
        ADD address > endereçamento > usado apenas com porta de comunicação RS485

        Para meus testes de verificação de funcionamento do N321, ao invés de montar direto no freezer, montei uma lâmpada incandescente com dimer e obtive um controle de variação de 27°C (ambiente), até 50°C…dentro desta faixa, programei o N321 para ligar com 40°C e desligar com 32°C (exatamente os 8°C que preciso de diferença para o freezer.
        A configuração ficou assim:
        SP 40
        UNT 0
        TYP 1
        OFS 0
        SPL 31
        SPH 33
        HYS 8
        ACT 1
        OFT NA
        ONT NA
        DLY 0
        ADD NA

        Funcionou como um relógio suíço e me abriu várias possibilidades de uso…até automotivo…
        Como o N321, não veio com sensor (usei o do meu multiteste), agora é comprar um com o comprimento de cabo necessário e montar no freezer…

        Assim que possível, postarei o resultado final da montagem.

        Abraços!

      • Qual tem sido os custos? Estou estudando usar um Arduíno micro com os sensores para controlar e adicionar mais recursos. Estou pensando quais os sensores ideais

      • Essa seria a minha opção, se eu tivesse tempo:

        – Colocar um ventilador interno para melhorar a uniformidade da temperatura e humidade.
        – Colocar três sensores de temperatura, um no congelador, um na altura da prateleira principal e outro na gaveta inferior.
        – Trocar a lâmpada original e usar fitas de leds para iluminação interna.
        – Possivelmente usar leds ultravioleta para ajudar na higiene interna, quando a geladeira estivesse fechada.
        – Monitorar a humidade…

        Enfim, dá pra fazer muitas coisas usando o Arduino.

        Abraço.

      • Que isso gente…usar um Arduino para controlar a geladeira/freezer eu acho que seria o mesmo que usar um canhão pra matar um coelho…mas o aprendizado seria interessante…

        Penso que a avaliação das temperaturas dentro de uma geladeira/freezer, é interessante para se conhecer a circulação e como melhorá-la no sentido estrutural (abrir/reduzir/fechar canais de circulação do frio), mas fazer isso dinamicamente é macatronizar tudo e aí acho que o custo inicial e de energia fugiria ao propósito inicial…ou não…mas o aprendizado seria o maior lucro.

        Mas já que estamos divagando, deixa eu colocar uma questão para as cacholas de plantão: Qual seria os prós e contras de criarmos um vácuo na geladeira/freezer?

      • Oi Célio.

        Na minha opinião, é válida a experiência, ainda mais porque hoje, um Arduino pode ser comprado por 20 reais nos sites chineses. Além do mais, se não fossem pelas “experiências”, não estaríamos conversando agora, não é mesmo?

        Abraço.

      • Eugênio/Paulo, não me referi tanto a custos, pois o Arduino é até barato, o problema são os adereços necessários, tempo, toda a parafernalha para o desenvolvimento e chegada ao ponto desejado na montagem do hardware de forma prática ao propósito…acho muito investimento quando a indústria já dispõe de algo engenhado e pronto para uso…o preço no Brasil é que é salgado.
        Se o propósito for o de montar algo que faça o mesmo, porém fique bem barato e disponível ao público na forma de um “plug&play”, show…dá até pra ganhar um dim-dim, caso contrário, o investimento retornará em aprendizado (que por si só já é bom), solução de um problema próprio e/ou compartilhamento que pode ser utilizado por uma minoria, pois a massa se confunde com o série e paralelo, que dirá em seguir os passos da experiência…

        A solução do Paulo, pra mim foi excelente, pois tenho conhecimento técnico e só tenho a agradecer por ele ter compartilhado algo que irá resolver alguns problemas que tenho com controle de temperatura (residencial e automotivo), e que certamente a massa achará maravilhoso, mas não conseguirá vencer a barreira do desconhecimento e a coisa fica restrita a uma meia dúzia.

        Já passei por cima do DS18B20, mas desisti de investir tempo devido a ter que estudar para uma solução emergencial (automotiva), resolvendo de forma até mais barata com o que a indústria já dispõe no mercado…não foi a que eu queria, mas resolveu…

        Vejam que não estou desestimulando as possíveis soluções com o Arduino ou o DS18B20, só acho que é muito pra mim seguir os mesmos passos, deixando de lado a marcenaria e a mecânica (industrial automotiva), que são hobbyes que pratico no momento…ou tento praticar quando a família me deixa…rs!

        Bração gente…

      • Eugênio, este N321 saiu por 150,00 no ML e estimo mais uns 30 a 40,00 no sensor (incluindo frete). Pode, e é, um valor significativo se comparado ao termostato original (em torno de 35,00), mas como o próprio Paulo demonstrou, o custo se paga pela economia de energia…e no meu caso que tenho um freezer muito bom, com o N321 (ou algum outro que faça o mesmo), consigo fazer com que ele trabalhe como uma simples geladeira de conservação para frutas e legumes (de 10 a 5°C), uma cervejeira (de 0 a -4°C), um freezer para conservação para até 6 meses ( de -8 a -15°C), ou um freezer para conservar por anos (de -20 a -30°C)…só depende da minha necessidade e desejo.

        Quanto aos sensores, estou estudando o assunto e estou concluindo que para o propósito serve qualquer um dos sensores que atenda a faixa desejada de temperatura, desde que o equipamento seja próprio para o sensor (ou vice-versa), ou que se possa configurar o equipamento para tal (vi um da RKC que aceita qualquer tipo, pois é configurável).

        E ainda tem diversas formas de apresentação do sensor, que internamente é o mesmo componente (NTC ou Pt100/Pt1000 ou termopar), porém protegido contra meios corrosivos, sulfuroso, alcalino, para altas temperatura…e por aí vai. No nosso caso basta que o sensor seja protegido apenas contra umidade.

      • Erlon, creio que vc. eteja com problema de entrada de ar (normalmente pela borracha da porta), pois como disse em meu primeiro post, um freezer caseiro quase não é aberto, não justificando perda significativa do frio, até por horas…após alguns ciclos a porta tem que oferecer grande resistência na abertura caso contrário tem passagem de ar…feche a porta prendendo uma folha de papel…tente puxá-lo após a porta fechada…ela deve sair com grande dificuldade, caso contrário neste ponto está havendo fuga e se não for possível acertar o melhor é trocar a borracha toda, que com o tempo resseca e endurece, facilitando a passagem de ar…faça este tete em toda a volta da porta.
        Outras possibilidades são as passagens, de fora para dentro, de fios, capilares, drenos e até rachaduras no plástico do gabinete interno… passar sempre passa um pouco, mas quanto menos passar maior será o tempo entre os ciclos, pois a perda do frio ocorrerá bem lentamente.

  24. Se vc abrir a geladeira e ela estiver abaixo da temperatura de ativação do termostato, logo, a lampada da geladeira não acenderá. Como resolver essa questão?

  25. Muito interessante seu estudo. Colocou em prática a comparação entre controle mecânico x controle eletrônico. Sem dúvida já era de se esperar que o controle eletrônico fosse muito mais eficiente, além de mais preciso, possue um tempo de ação muito menor.

    A indústria provavelmente não utiliza o controle eletrônico porquê é mais caro, além de aumentar a vida útil do compressor, assim venderia menos equipamentos.

    O ideal mesmo seria um inversor de frequência, como já está virando realidade nos condicionadores de ar.

    Belo trabalho, parabéns.

  26. Pessoal, encontrei um site que é um verdadeiro castelo de brinquedos para o assunto…tem controlador pra todo tipo de necessidade e no ML eles são encontrados com preços bem razoáveis, estou pensando em comprar um para substituir o termostato da geladeira…

    http://www.fullgauge.com.br/produtos/temperatura

    Um alerta geral!

    Avaliando a instalação do N321 no meu freezer, me deparei com uma questão que deve ser levada em consideração…o desgaste dos contatos de relés.
    Nestes controladores ou termostatos digitais, apesar da eletrônica precisa, no N321 e em muitos outros, existe o mesmo tipo de problema que no termostato comum ou mecânico, que é o desgaste/corrosão/mau contato dos contatos de acionamento, que nos mecânicos representa 99% de problema (1% é falha de fabricação ou vazamento do capilar [rabicho] por vibração ou movimento impróprio, geralmente em manutenções), e não será diferente no N321 ou em qualquer outro que tenha um relé com contatos.

    Quanto maior a capacidade de corrente dos contatos em relação a carga (motor), maior será sua vida útil. Mas isso não elimina o problema do acúmulo de fuligem causada pela centelha (ou arco voltaico), que ocorre tanto na operação quanto na desoperação, e que com o tempo causará mau contato e parada do refrigerador/freezer.

    Possíveis soluções:
    1 – colocação de supressor tipo RC > diminui sensivelmente, mas não elimina.
    2 – instalação de um relé (ou contator), externo ao N321, protegendo e dando maior longevidade a seu relé interno e colocando supressor RC no rele externo > isso quase elimina a manutenção no N321, mas como em 1, não elimina o problema e encarece o sistema.
    3 – imersão dos contatos em óleo fino > solução nem sempre possível devido a forma contrutiva do relé ou do local onde foi instalado, mas é excelente.
    4 – instalação de um relé SSR (não mecânico) > protege o N321, elimina centelhamentos, tem vida útil longa e indeterminada, não faz barulho, mas necessita de bateria de 3 a 30VDC para ser acionado.

    Como tenho relé com forma construtiva que permite a montagem invertida para imersão em óleo, esta vai ser minha primeira opção.

    Alô Eugênio, avalie o uso do LM35, acho que com o Arduino será mais fácil do que usar o DS18B20.

    Bração!

      • Sim, não são todos que apresentarão problema ao mesmo tempo, mas o início é este…
        Falo com base não só em conhecimentos de minha antiga profissão, mas na prática e neste freezer que ora estou atuando.
        O freezer está num local da casa em que seu funcionamento é muito silencioso (salvo a ventoinha quando se abre a porta), mas quando o retirei para atuar, reparei que de cada 5 tentativas de ligar o motor, 2 ou 3 falhavam…quando fui ver os contatos do relé de partida é que descobri e resolvi o problema.
        O alerta serve para saberem que o problema é latente, não se sabe quando ocorrerá e tem soluções para evitá-lo ou posterga-lo..
        Meu sensor já está voltando (segundo eles o problema era no cabo), e em breve mostrarei toda a odisseia..com fotos…
        Bração,
        Bange

  27. O ideal agora seria avaliar o comportamento de corrente e tensão… ou energia efetivamente consumida pelo aparelho.
    Questões como corrente de partida(já que ela estará desligada) e etc.
    Muito bom o trabalho… você não é um curioso, é um PENSADOR, e faz a diferença.
    Tenta fazer os testes de consumo com, e sem, o teu arranjo.
    Depois avalia se ficou dentro do esperado.
    Tu fizeste os cálculos baseados em teoria, mas todo experimento tem o caráter prático em algum momento… que pode nos ensinar a melhorar e descobrir o que não observamos por algum motivo.

  28. Boa tarde,

    Tenho uma cervejeira metalfrio que consome muita energia, quando marca -5,5 ela desliga e em apenas 5 minutos atinge -2,5 que liga novamente, ja troquei o sensor de temperatura , o relogio digital e o gaz, mas continua a mesma coisa . Tem ideia do que pode ser ?

    • Ricardo,
      A conservação do frio está ligada a aberturas de porta (quantidades ou tempo de abertura), vazamentos por má vedação em porta, por rachaduras na parte interna do gabinete, qualidade ou tipo do isolante (no gabinete ou portas, isto é projeto), ou produtos recém colocados no interior.
      Tudo isso prejudica a conservação do frio, pois o ar que entra (mais quente), rouba o frio dos produtos e faz acelerar o tempo de religar.

      Bração,
      Bange

      • Paulo … no seu exemplo não houve alteração no tempo de liga/desliga quando abristes a porta (às 15 horas e às 15:30) conforme seu comentário. Há como medir o efeito de abrir/fechar porta (aqui em casa em média são 12 abre/fecha por dia)? Eu gostaria de media o quanto isto consome de energia (em w).

  29. Não consegui entender como o ciclo de desligado ficou em 17min! Sendo que vc não mexeu no isolamento térmico da geladeira, muito menos abriu a porta! Outra coisa que não entendi foi o seu delta T setado no termostato digital, vc disse que após subir de -5 em 2min o motor dispara, e após baixar de -5 em 1min o motor desliga, ou seja liga em -4,9 e desliga em 5,1, como o isolamento térmico da sua geladeira consegui levar 15min + 2min do Oft para subir de -5 para -4,9?
    Eu entendo que com o termostato digital o compressor irá ligar e desligar nas temperaturas EXATAS gerando um ciclo de liga e desliga mais preciso e homogêneo!
    Agradeço muito se poder tirar minhas dúvidas, pois pretendo aplicar na geladeira e gelágua aqui de casa! No mais Parabéns pelo projeto, e por compartilhar seu conhecimento!

  30. Não consegui entender como o ciclo de desligado ficou em 17min! Sendo que vc não mexeu no isolamento térmico da geladeira, muito menos abriu a porta! Outra coisa que não entendi foi o seu delta T setado no termostato digital, vc disse que após subir de -5 em 2min o motor dispara, e após baixar de -5 em 1min o motor desliga, ou seja liga em -4,9 e desliga em 5,1, como o isolamento térmico da sua geladeira consegui levar 15min + 2min do Oft para subir de -5 para -4,9?
    Eu entendo que com o termostato digital o compressor irá ligar e desligar nas temperaturas EXATAS gerando um ciclo de liga e desliga mais preciso e homogêneo!
    Agradeço muito se poder tirar minhas dúvidas, pois pretendo aplicar na geladeira e gelágua aqui de casa! No mais Parabéns pelo projeto, e por compartilhar seu conhecimento!

  31. Boa idéia!

    Uma das questões que você não levou em consideração e que seria difícil calcular sem equipamento profissional é o consumo na partida.
    Motores indutivos dão um pico de consumo de energia até entrar em operação continua.

    Como você reduziu a quantidade de partidas do motor, certamente sua economia em eletricidade será ainda maior, fora o prolongamento da vida útil do motor.

    Essa é a idéia de ter geladeiras e condicionadores de ar controlados por inversores, os famosos “inverters”.

  32. Boa tarde. Gostaria de saber se num freezer vertical, com esse termostato conseguiria obter esse resultado de chegar na temperatura em torno de 4 ou 6, desarmasse?
    Grata.

  33. Paulo
    Bom dia possuo um freezer expositor e a regulagem da temperatura é feita por estator manual ainda.Se eu colocar esse digital eu vou conseguir baixar mais a temperatura do freezer….
    Grato

  34. mulher no pedaço buscando economia…
    meninos, não entendi muito bem.
    pra resumir, o que devo fazer pra economizar?
    tenho um frigobar q deixo sempre no minimo. isso ajuda?
    estou fazendo correto ou não tem relação o q eu fiz com o consumo?

  35. o amigo ve se voce pode m dar uma orientacao,minha geladeira deve estar com oalgum sensor com defeito pois depois de +- 12horas ela funcionando ela desliga e fica umas 4 horas desligada,so que se eu deixar ela desligada 1 hora por dia ela trabalha normal,o problema e que a marca dela e semp toshiba(importada)e nao acho o sensor dela,voce tem alguma sugestao ?

    • Wagner, tentando lhe ajudar…algumas unidades freezer ou geladeiras conjugadas (frost free), tem um dispositivo para degelar a capa de gelo criada normalmente no evaporador. Dependendo do projeto, este dispositivo pode ser mecânico (timer com motor), ou eletrônico…de toda forma, ambos devem ter um relé (ou contato mecanicamente ligado ao timer), que comanda o liga/desliga do compressor a cada 12h, e também uma resistência elétrica (para aquecer), montada junto do evaporador para acelerar o degelo da capa e normalmente esta função leva +- 20min…e não horas…podendo estar o seu problema entre a resistência aberta, o relé ineficiente (danificado), fusível de proteção ou ainda em um termostato (nem todas tem), que fica localizado junto ao evaporador…um bom técnico em refrigeração irá identificar o problema e resolver.

      Bração,
      Bange

  36. Acho que era importante buscar uma formas de alterar o Fator K

    Um BTU (unidade térmica britânica) é a quantidade de energia (calor) necessária para elevar a temperatura de uma libra de água um grau Fahrenheit.

    Sistemas antigos (ineficientes) exigiriam cerca de 1 BTU de energia para remover 1 BTU de calor.
    Este é um fator de 1 (K = 1 Programa de Análise de Energia em) desempenho.

    Sistemas novos (alta eficiência) podem exigir algo como 0,33 BTUs de energia para remover 1 BTU de calor. Este é um fator de 3 (K = 3 Programa de Análise de Energia em) desempenho.

    Sistemas típicos exigiriam 0,5 BTUs de energia para remover 1 BTU de calor. Este é um fator de 2 (K = 2 Programa de Análise de Energia em) desempenho.

    • Iara, provavelmente por ser um produto novo, já deve vir com um controlador integrado à unidade de controle…vc não vê, mas tem acesso pelos botões de controle…limitado (não é como um controlador aqui citado), mas tem.

      Bração,
      Bange

  37. Olá meu amigo, parabéns pela iniciativa de fazer e também de divulgar o feito e em detalhes. Só gostaria de dizer uma coisa que me deixa perplexo. É o fato de que no Brasil poucas fábricas tem o controle do mercado e no final quem sai perdendo é o consumidor. Veja este caso de Consul e Brastemp. Tudo fabricado pelo mesmo fabricante a Whirlpool Corporation, ramo Brasil. Não contente em oligopolizar o mercado de geladeiras eles ainda compraram a Embraco, que fabrica os compressores, e que era uma empresa brasileira.
    O que é mais impressionante e verificar que no primeiro mundo eles não conseguem fazer o que fazem aqui em termos de mercado. Mas nossos governos, e aqui não se salva ninguém, deixaram e continuam deixando estas coisas acontecerem.
    Um grande abraço.

  38. simplesmente fantástico, vou morar sozinho e estou adotando medidas para redução de consumo de energia, pode ter certeza que eu vou fazer o mesmo pois mesmo que seja um beneficio a longo prazo ainda é valido.

  39. Ricardo

    Em seu exemplo não vi alteração no liga/desliga quando a porta foi aberta (às 15 e às 15:30hs) conforme descrito. Não há alteração de consumo em razão do abre/fecha de porta do refrigerador? Aqui em casa esta operação abre/fecha acontece umas 12 vezes ao dia.
    Dá para medir quanto consome abre/fecha de porta?

  40. Só não entendi como ficou ligado à fase e o neutro no desenho está 1,2,3 todos os 3 estão interligados ? Dessa forma não faria um curto?

  41. Boa tarde Paulo, tudo bem? Primeiramente, parabéns pelo teu tutorial. Meu irmão faz cerveja artesanal e já montei um controlador em um freezer. Na época, não era necessária a remoção do termostato, então fiz a ligação apenas para que o controlador chaveasse a alimentação do freezer… Agora estou montando uma cervejeira a partir de um frigobar e já fiz o recorte para o controlador na porta… Eis que quero desabilitar o termostato mecânico e deixar apenas o controlador digital, mas vi que no termostato original existem 03 fios… Li sobre a questão de jumpear ou “curto-circuitar os fios”, mas minha dúvida é a seguinte: Quais fios deixar em curto? Acredito que não seja os 03, mas sim dois, que irão deixar o compressor funcionando eternamente, hehehe… Tens uma idéia de como funciona um termostato mecânico de 03 fios para que eu possa chegar até a resposta? Obrigado e sucesso nos teus posts!

  42. Minha geladeira nao desligava. Eu comprei um timer e instalei direto no motor para nao mudar as funções normais da geladeira. Fiz varios testes e tive q programar o timer assim…. durante o dia ela fica ligada 45 min e desliga 30 de madrugada fica 30 e 30… pois se eu diminuir o tempo ela descongelava rápido. Assim em 24 horas consegui 7 h de economia.

  43. Olá, Muito Boa essa matéria sobre economia de energia. Então a água ferve á 100 graus á nível do mar, ou seja, se vc tiver acima do nível do mar, naturalmente ela fervera antes de chegar aos 100 graus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s